0,00 €

Nenhum produto no carrinho.

0,00 €

Nenhum produto no carrinho.

Home Loja Formação Contínua de Professores Speak up! Developing speaking skills in cross-cultural classrooms (3.ª edição)

Speak up! Developing speaking skills in cross-cultural classrooms (3.ª edição)

70,00 160,00 

Partindo da reflexão em torno de diferentes métodos e abordagens relativos ao desenvolvimento das competências de interação e produção oral do Inglês (Língua Estrangeira I – LEI), o presente curso desenvolver-se-á com base na exploração de diversos recursos e atividades, (re)conciliando, assim, a teoria e a prática em situações reais de comunicação.

SKU: 128D0133FCP3
Data Início

08/05/2024

Data Fim

Duração

25h

Modalidade

Curso

Regime

a Distância

Acreditação

CCPFC/ACC-121591/23

Grupo de recrutamento

220, 330

Releva para progressão na carreira docente?

Sim

Dim. Científica e Pedagógica

Sim

Formador/a

Márcia Silva

Preço Associado

70.00 €

Preço Não Associado

160,00 €

NOTA:

N.º minimo de participantes para realização da ação: 10, O certificado será enviado por e-mail. Caso pretenda envio por via postal o custo é de €5.00

Sessões síncronas previstas
08/05/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
15/05/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
22/05/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
29/05/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
05/06/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
12/05/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
19/06/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
26/06/2024 das 18h30 às 20h30 (4.ª feira)
29/06/2024 sessão assíncrona (prazo entrega de reflexão critica individual)

• Perspetivar o papel da língua inglesa no contexto internacional como catalisador do desenvolvimento da competência comunicativa, em geral, e das competências de interação/produção oral, em particular;
• Analisar os documentos de referência para o ensino e aprendizagem da língua inglesa;
• Desenvolver as competências de interação/produção oral;
• Cultivar o rapport com vista à qualidade da comunicação interpessoal;
• Integrar a pronúncia, a acentuação e a entoação no desenvolvimento das competências de interação e produção oral;
• Percecionar a correção linguística e a fluência como componentes essenciais das competências de interação e produção oral, com vista à proficiência oral;
• Identificar estratégias de ensino e aprendizagem que visam o desenvolvimento das competências de interação/produção oral;
• Criar um toolkit de recursos e materiais didáticos orientados para o desenvolvimento da competência oral.

Apresentação
– Apresentação do curso de formação (programa, cronograma, instrumentos de avaliação, plataformas digitais)
– Apresentação dos intervenientes: atividades de ice-breaking e teambuilding.

Módulo 1 – Contextualização
– Contextualização das competências de interação e produção oral nos documentos de referência para o ensino e aprendizagem da língua inglesa;
– Análise dos documentos de referência para o ensino e aprendizagem da língua inglesa, designadamente o Quadro Europeu Comum de Referência (QECR) para as Línguas, O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO) e as Aprendizagens Essenciais (AE) de Inglês;
– Elaboração de “O Meu Perfil” (profissional, comunicativo, intercultural e estratégico).

Módulo 2 – A construção do rapport
– Exploração de recursos e materiais pedagógico-didáticos sobre a construção do rapport;
– Exploração de técnicas eficazes de construção de rapport;
– Atividade prática.

Módulo 3 – Pronúncia, acentuação e entoação
– Exploração de recursos e materiais pedagógico-didáticos sobre a pronúncia, acentuação e entoação;
– Exploração de técnicas eficazes de prevenção e correção de desvios de pronúncia, acentuação e entoação;
– Atividade prática.

Módulo 4 – Correção linguística versus fluência
– Exploração de recursos e materiais pedagógico-didáticos sobre correção linguística e fluência;
– Exploração de atividades de interação e produção oral com diferentes enfoques;
– Atividade prática.

Módulo 5 – A promoção da competência de interação oral
– Análise de técnicas a considerar na planificação de atividades de interação oral com base na metodologia Task-based learning (TBL);
– Planificação de atividades de interação oral;
– Atividade prática.

Módulo 6 – A promoção da competência de produção oral
– Exploração de projetos europeus desenvolvidos com base na metodologia Project-based learning (TBL);
– Planificação de atividades de produção oral;
– Atividade prática.

Módulo 7 – A avaliação das competências de interação e produção oral
– Análise de diferentes tipos, funções e efeitos de feedback;
– Análise de estratégias e instrumentos diversificados de avaliação do desempenho dos alunos;
– Atividade prática.

Avaliação
– Apresentação dos trabalhos realizados;
– Auto / Heteroavaliação.

Nas sessões síncronas, privilegiar-se-á uma metodologia ativa, participativa e colaborativa, mediante atividades de brainstorming, discussão, debate e diálogo a par do trabalho colaborativo. A partir de um enquadramento conceptual, com vista ao alargamento e aprofundamento de conhecimentos científicos e pedagógico-didáticos, esta ação centrar-se-á, essencialmente, na planificação de atividades para o desenvolvimento das competências de interação e produção oral dos alunos. Nas sessões assíncronas, os formandos realizarão trabalho individual e autónomo, mobilizando os conteúdos abordados nas sessões síncronas para situações reais de ensino-aprendizagem, em articulação com o currículo.
Promover-se-á, ainda uma metodologia reflexiva visando a reflexão (auto)crítica dos formandos “para, na e sobre a ação”. Na última sessão síncrona, os formandos apresentarão as evidências do trabalho desenvolvido ao longo da ação, com vista à partilha de ideias e experiências e à criação de um toolkit.

O regime de avaliação dos formandos contempla uma perspetiva formativa, realizada durante a formação, para promover o desenvolvimento das aprendizagens com vista ao ajustamento de processos e estratégias e, no final da formação, uma avaliação sumativa tendo por base uma reflexão final.
Os critérios de avaliação a utilizar incidem nos seguintes parâmetros:
Participação e empenho nas atividades propostas (síncronas e/ou assíncronas) – 20%;
Interesse e motivação demonstrados – 20%;
Produção de conteúdos (trabalhos práticos) – 40%;
Reflexão final – 20%.
A avaliação dos formandos é realizada nos termos do despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio. Avaliação quantitativa na escala de 1 a 10 valores, com menção qualitativa de:
Excelente – de 9 a 10 valores;
Muito Bom – de 8 a 8,9 valores;
Bom – 6,5 a 7,9 valores;
Regular – 5 a 6,4 valores;
Insuficiente – 1 a 4,9 valores.

O certificado de formação é emitido mediante a assiduidade de dois terços das horas de formação e a conclusão da ação com aproveitamento.

Outras sugestões