Home Loja A1 - DIDÁTICAS E METODOLOGIAS Construção de roteiros/projetos de descoberta do território e de experimentação artística (1.ª edição)
07/12/2021
a Distância

Construção de roteiros/projetos de descoberta do território e de experimentação artística (1.ª edição)

65,00 140,00 

Formar os professores para a função de mediadores entre a Escola, os seus beneficiários e o território, sendo estes o primeiro contacto crítico que o público infantojuvenil tem com os Patrimónios, a Cultura, a Arte e a Literatura.

Limpar
Data Início

07/12/2021

Data Fim

20/01/2022

Duração

25h

Modalidade

Curso

Regime

a Distância

Destinatários

Grupos 200, 240, 300, 400, 420, 600

D.C.P.

Sim

Acreditação

CCPFC/ACC-112743/21

Formador/a

Helena Mendes Pereira

Preço Associado

65,00 €

Preço Não Associado

140,00 €

NOTA:

Certificado será enviado por email aos formandos com aproveitamento. Caso pretenda via postal, CTT, tem um custo adicional de 5,00€ (despesas envio)

Sessões síncronas previstas
Dezembro: dias 07, 09, 14 e 16 das 19h30 às 21h30
Janeiro: dias 04, 06, 11, 13, 18 e 20 das 19h30 às 21h30

Objetivo Geral:
Formar os professores para a função de mediadores entre a Escola, os seus beneficiários e o território, sendo estes o primeiro contacto crítico que o público infantojuvenil tem com os Patrimónios, a Cultura, a Arte e a Literatura.
Objetivos específicos:
– Olhar o território em que se insere a Escola e identificar, entre os equipamentos e eventos culturais e unidades patrimoniais quais os que se relacionam com os seus currículos e com as temáticas gerais de interesse dos alunos;
– Construir um projeto temático de expansão da sala de aula que usufrua da oferta cultural local e permita criar vínculos e identidades entre a comunidade Escolar e o território;
– Diminuir diferenças entre grupos dentro da Escola, considerando a diversidade do território e a História que nos conta como exemplo da pluralidade transversal à evolução da vida na Terra;
– Definir um projeto transdisciplinar para a Escola que a torne numa unidade social dinâmica, num espaço privilegiado de cidadania.

A ação de formação organiza-se com um total de 5 sessões consecutivas, com um caráter expositivo em que é privilegiada a participação ativa dos formandos nas sessões. Após a quinta sessão há um intervalo de uma semana em que os formandos desenvolvem as propostas de trabalho que apresentam, em sessão aberta, na última sessão de 5 horas. A tipologia de abordagem (mais ou menos territorial) vai depender da caracterização do grupo: caso o grupo tenha uniformidade geográfica, as propostas poderão ser mais direcionadas; na situação inversa, serão mais dispersas e com abordagens mais gerais.

Módulo 1 – 8 horas (6h síncronas e 2h assíncronas)
– Definição e tipologias de Patrimónios, Equipamentos e Eventos Culturais, Disciplinas Artísticas e tempos de criação ao longo da História da Arte e da Literatura.
– Tipologias de roteiros com enfoque nos Artísticos, Literários e dos Patrimónios.
– Vocabulário da História da Arte, dos Patrimónios, da Programação Cultural.
– Noções gerais de ordenamento urbano contemporâneo.

Módulo 2 – 4 horas (3h síncronas e 1h assíncrona)
– Metodologia de projeto para a criação de um projeto de Escola que expanda a sala de aula para o território: análise SWOT, identificação de temas de interesse gerais, articulações curriculares, redes de trabalho e agilização de logística.
– Caracterização do tecido socioeconómico da Escola e identificação de urgências de intervenção.

Módulo 3 – 8 horas (6h síncronas e 2h assíncronas)
– Construção de roteiros / projetos de descoberta do território e/ou de experimentação artística.
– Construção de materiais pedagógicos pré e pós atividades.
– Metodologias de implementação e de avaliação de resultados.

Módulo 4 – 5 horas (5h síncronas)
– Apresentação e discussão das propostas desenvolvidas pelos formandos.

A ação parte de uma abordagem teórica inicial às definições e tipologias de Patrimónios, Equipamentos e Eventos Culturais, Disciplinas Artísticas e tempos de criação; depois, serão dados exemplos práticos de projetos, um pouco por todo o mundo, em que foi potenciada a relação da Escola com o território. A abordagem será iminentemente teórica.
No sentido de compreender o grupo de formandos e a sua heterogeneidade, haverá o desafio de cada um apresentar a sua Escola e o território em que se insere. A partir deste desafio são identificados temas chave comuns e divergências de contexto notórias.
Serão apresentados exemplos de projetos pedagógicos e educativos em que Escola e território construíram um diálogo, um ambiente de partilha, fortalecendo identidades e melhorias de qualidade de vida e de experiência de lugar para as comunidades.
Haverá uma abordagem prática à construção de um projeto e sua relação com os currículos.
Irá privilegiar-se a realização de projeto individual.

A avaliação do desempenho dos formandos segue os seguintes critérios:
. Participação e empenho nas atividades propostas (síncronas e/ou assíncronas) – 25%
. Produção de conteúdos: elaboração e apresentação de roteiro(s) – 50%
. Reflexão Crítica Final – 25%
A avaliação dos formandos é realizada nos termos do despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio. Avaliação na escala de 1 a 10 valores, com menção qualitativa.

O certificado de formação é emitido mediante a assiduidade de dois terços das horas de formação e a conclusão da ação com aproveitamento.