0,00 €

Nenhum produto no carrinho.

0,00 €

Nenhum produto no carrinho.

Casa do Professor coordena projeto europeu sobre intergeracionalidade docente

Portugal enfrenta hoje o enorme desafio de atrair novos professores para a carreira, associada à escassa procura de cursos em ensino. Ao mesmo tempo, a maioria da classe docente tem mais de 50 anos de idade, enquanto menos de 1% dos professores têm menos de 30 anos. Segundo dados recentes do Conselho Nacional de Educação, até ao ano de 2030, mais de metade dos professores (57%) vai aposentar-se. Outros países europeus, como por exemplo a Alemanha, a Itália e a Grécia, parceiros neste projeto, apresentam uma média de idades de professores superior à da OCDE (44 anos).

Esta realidade, de acordo com a coordenadora do projeto, Marta Peixoto, “é muito preocupante e demonstrativa do enorme risco de se perder o saber acumulado de anos de atividade dos professores de carreira, razão pela qual o Grupo de Trabalho em Políticas Educativas da União Europeia, com cujos objetivos este projeto está alinhado, procura criar oportunidades sistémicas e criativas para transformar a profissão docente, tornando-a mais atrativa para novos professores e dessa forma evitar o abandono profissional precoce”.

A este propósito, esta responsável adiantou ainda que “a remuneração e as condições de trabalho são importantes para atrair e reter professores e líderes escolares qualificados e de alta qualidade, mas é também importante considerar, a nível político, as perspetivas de carreira para garantir um ensino de alta qualidade, nomeadamente através de uma clara aposta no desenvolvimento profissional docente”.

É neste contexto que surge o LOOP – Scaffolding in Teachers Development: Mentoring and Mentors in Induction Programs, inserido no âmbito das competências do Centro de Inovação Pedagógica da Casa do Professor, “um projeto desenhado com o objetivo de valorizar o trabalho dos professores, não apenas na fase inicial da sua carreira, mas também em diferentes etapas da sua vida profissional”, conforme adiantou a coordenadora.

O apoio que o LOOP pretende promover nos próximos três anos “abrange ainda os líderes escolares, prevendo-se a dinamização de atividades estruturantes, o desenvolvimento de recursos e a promoção de redes de aprendizagem comunitária, uma visão intergeracional transformadora para o sistema de ensino. Esta intervenção vai materializar-se em diferentes dimensões, destacando-se o acesso a programas de Mentoria, com o objetivo de responder às necessidades das comunidades de professores, através da implementação de modelos de formação personalizados”.

Uma das iniciativas previstas em 2023 é a realização de uma Conferência Internacional em Braga, o evento de disseminação dos resultados do projeto, no qual vão participar os parceiros que integram o projeto LOOP: Colégio João Paulo II (Portugal), CESIE e Escola IPSSEOA Pietro Piazza (Itália), Universidade Nacional Capodistriana de Atenas e 1o Peiramatiko Gymnasio Athinas Greece (Grécia) e o Centro Escolar Carl von Ossietzky (Alemanha).

Jorge Soares, Presidente da Casa do Professor, refere que “uma das principais componentes deste projeto, transversal à instituição, é a formação docente, um fator essencial para o sucesso dos alunos, com o qual a Casa do Professor está comprometida há décadas, privilegiando sempre a qualidade e a inovação – quer com iniciativas a nível nacional, através do Centro de Formação, quer numa dimensão internacional, por intermédio do Centro de Inovação Pedagógica, uma unidade orgânica que tem desenvolvido soluções educativas inovadoras assentes na tecnologia, psicologia e neurociência, em parceria com entidades governamentais, educativas e tecnológicas”.

Acompanhe os desenvolvimentos do projeto LOOP através da página de facebook.